Não gerencie seu Delivery pelo WhatsApp

Mais de 2 bilhões de usuários ativos no mundo. Presente no celular de 120 milhões de brasileiros. 93% das mensagens trocadas dentro do aplicativo são lidas. Quem lê esses dados acredita fielmente que investir em delivery pelo WhatsApp não tem outra: vai render bons resultados.

É verdade! Quer dizer, às vezes não.

Falando sério, sério mesmo, não tem como render bons resultados se o gerenciamento é feito de maneira amadora, e empreendedor amador quase nunca chega longe quando se deixa levar pela empolgação que os números do primeiro parágrafo causam.

Até porque eles não deixam de ser positivos.

Quando o Facebook adquiriu o WhatsApp por uma bagatela de 19 bilhões de dólares em 2014, ele entrou para a história como o maior negócio já feito para uma startup apoiada por capital de risco.

A razão para o preço de venda ter sido tão cheio de dígitos foi o fenômeno mundial que o WhatsApp estava se tornando. No momento da aquisição, o WhatsApp tinha meio bilhão de usuários ativos por mês. Em maio de 2020, esse número cresceu para mais de 2 bilhões de usuários, algo que é mantido até hoje, em 2021.

O número de vezes que o aplicativo foi baixado é ainda mais assustador: 5 bilhões.

Não é de se surpreender que uma rede social tão ativa e tão popular tenha virado palco para vendas.

E assim começa o delivery pelo WhatsApp

Restaurantes de pequeno, médio e até grande porte começaram a investir em delivery pelo WhatsApp graças à facilidade de manter um relacionamento com seus clientes, afinal, eles estão logo ali, a um clique de distância.

O mercado se expandiu tanto, mas tanto, que cursos e materiais gratuitos começaram a serem produzidos para manifestar a arte da venda pelo WhatsApp, porque não basta apenas o investimento do próprio Facebook Inc. em uma versão empresarial (WhatsApp Business) — é preciso que o próprio dono do delivery esteja disposto a aprender novas artimanhas para se destacar em um espaço cada vez mais competitivo.

Embora a intenção inicial dos criadores do WhatsApp fosse oferecer um aplicativo de mensagens pessoais, funcionários de empresas de todo tipo de setor começaram a usar o WhatsApp para comunicação comercial.

Por causa do preço do WhatsApp (ou falta dele, afinal, é gratuito) e da facilidade do uso, essa pode parecer uma solução atraente para comunicação e aproximação entre cliente e empresa, especialmente para aquelas que sabem valorizar o investimento na fidelização.

Mas por que não usar o WhatsApp para gerenciar?

Embora o WhatsApp seja ótimo para manter a comunicação com amigos e familiares, há muitos motivos pelos quais gerenciar seu delivery pelo WhatsApp não seja lá uma ótima ideia.

Aqui estão apenas alguns.

  • Pessoal x Profissional

Começamos pelo mais simples e, surpreendentemente, pelo erro mais comum. O número que você usa para receber pedidos de delivery online não pode ser o mesmo número que você usa para conversar com seus amigos e familiares.

Muitos empreendedores ainda não compreendem a importância de separar a vida pessoal da vida profissional. Além de te colocar em mal-entendidos, dores de cabeça e burnouts, usar apenas um chip para todos os assuntos te coloca em um ciclo de desorganização que não só afeta seu delivery como tudo o que diz respeito à sua vida privada.

Imagina enviar uma foto sua na praia para algum cliente por engano? Pior ainda: para uma lista de transmissão para clientes ativos? Não tem cupom que resolva. 😳

Por mais que muitos estabelecimentos sintam interesse em investir no delivery pelo WhatsApp, contabilizando esse erro logo de cara, já dá para saber que o sucesso nas vendas continuará sendo um sonho visto de longe.

  • Falta de organização

Voltamos a reforçar que o WhatsApp foi criado para ser um aplicativo de relacionamento pessoal. Usá-lo com expectativas comerciais vai além do que suas ferramentas podem oferecer.

Por mais atualizadas que as features do aplicativo sejam, elas ainda não oferecem o mesmo suporte que plataformas de logística oferecem para visualizar gráficos, distribuir entregas, gerenciar pedidos ou rastrear entregadores.

Nesse último caso, o máximo que o WhatsApp oferece é uma troca de mensagens entre você e o entregador. Algo entre as linhas: “onde você tá?” e “tô na rua tal, próximo da rua tal”, sendo que o motoboy não pode se comunicar com você enquanto ele estiver a caminho da residência do cliente por motivos de segurança.

Por ser um aplicativo limitado à troca de mensagens, gerenciar a logística do seu delivery pelo WhatsApp não funciona. Não há nenhuma ferramenta disponível que automatize processos de rotas e rastreamento, muito menos de distribuição de entregas entre motoboys.

Manualmente, esse tipo de processo é cansativo por levar tempo e exigir esforço mental. Ou você, dono do delivery, contrata uma pessoa especificamente para cuidar da logística FORA do WhatsApp (lidando com os entregadores pessoalmente, no caso) ou contrata um sistema que ofereça esses serviços de forma automatizada.

  • Análise de… emojis? 

Por não ser um programa refinado, automatizado e preparado para trabalhar com deliveries, o WhatsApp não oferece relatórios que possam ser analisados posteriormente.

Após um dia repleto de pedidos e vendas satisfatórias, você não consegue reunir os resultados automaticamente como normalmente faria com sistemas pagos mercado afora. O jeito é revisitar cada pedido, cada troca de mensagem, cada nota fiscal e caaaada número para juntar em uma única planilha todo santo dia. Manualmente.

Se isso não te cansa só de pensar, com certeza te transformará em um zumbi na primeira noite em claro à frente do computador. A maioria dos donos de delivery sequer passa por esse processo ao gerenciar o delivery pelo WhatsApp por saber o quão desagradável ele é.

O resultado de ignorar a análise de vendas diárias, semanais e, consequentemente, mensais, é perder estratégias pontuais que, elaboradas com base nessas informações retiradas de vendas reais, com certeza renderiam frutos lucrativos.

Não há nada pior do que criar estratégias às cegas. Isso é basicamente fazer um investimento de alto risco sabendo que as chances de dar errado são tão altas (senão mais) do que as chances de dar certo.

Pra que arriscar dessa forma quando se pode trabalhar relatórios 100% automáticos com sistemas 100% capazes no mercado food service?

  • Bagunça em alta demanda

E já que falamos da correria da alta demanda, saiba que gerenciar um delivery pelo WhatsApp durante horários de pico se torna mil vezes mais difícil do que nas situações que citamos até agora.

Você, seu atendente ou o recepcionista do seu estabelecimento muito provavelmente já sofreram com o malabarismo que precisa ser feito durante o recebimento das mil e uma mensagens numa sexta-feira à noite, por exemplo.

Ou naquele dia em especial quando aquela promoção foi ao ar e levou o público à loucura.

Uma das dores principais dos deliveries brasileiros (e do mundo) é a perda de atendimentos em horários de pico.

Ao gerenciar seu delivery pelo WhatsApp sozinho, sem o auxílio do atendimento virtual automático, muitos clientes acabam sendo largados às traças pela demora ou pela falta de tempo. Isso sem falar nos erros durante a coleta dos pedidos, algo inevitável na hora da pressa, da correria, das emoções à flor da pele…

Acredite, acontece. Ninguém aqui consegue digitar mais de dez palavras por segundo, tampouco atender dez pessoas ao mesmo tempo. Isso é humanamente impossível.

Não é à toa que criamos a Inteligência Artificial e os mecanismos robóticos que trabalham sob influência dela. 😉

Um sistema é um sistema

O WhatsApp não é de todo ruim. Sério mesmo. Só que não dá para esperar excelência de um app gratuito cuja especialização foge das necessidades do seu comércio.

Se o seu desejo é crescer (e, com certeza, é), não gerencie seu delivery pelo WhatsApp — a menos que você tenha um sistema só para isso.

Aqui na Anota AI, nós criamos uma plataforma inteligente que atenda seus clientes automaticamente, receba-os em um cardápio digital incrível preparado especialmente para o seu serviço, separe cada pedido em um gerenciador online para seu total manuseio, imprima notas fiscais em sua impressora térmica e notifique o cliente sobre o status do pedido a cada etapa do processo.

Tudo isso de forma automática, beleza? Permita que a Anota AI gerencie o seu delivery pelo WhatsApp por você. Chega de correr riscos, perder pedidos e cansar com a logística com a nossa parceria nota 10 com a Foody Delivery.

Automatizar é o futuro, e o seu futuro é só sucesso.

Vamos juntos! 🤖💙

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

5 respostas

  1. Uma dúvida,
    Os motociclistas aderindo essa modalidade.
    Ele vai criar vínculo empregatício, trabalhando todos os dias.

    1. Olá Veronica, tudo bem? Bem, existem duas opções para não caracterizar vínculo empregatício: você pode contratar um parceiro de entregas da Foody local (garantindo a qualidade do serviço) ou você pode contratar um motoboy MEI e dividir ele com outros estabelecimentos Delivery, em uma central de entregas da Foody (solução perfeita para quem não tem grandes demandas de entrega). Agora se você tem uma demanda alta de entregas, você pode contratar motoboys MEI e cadastrá-los na plataforma, enviar o pedido e o motoboy pode escolher se vai pegar ou não.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.